The Church Historian's Press The Church Historian's Press

25

Deus revelou-o a mim.

Conferência Geral Anual — Reunião Extra ao Ar Livre

Praça do Templo, Salt Lake City, Utah

5 de abril de 1908


Rachel H. Leatham

Rachel H. Leatham Por volta de 1906. Rachel Leatham trabalhou como guia no Escritório Central de Informações na Praça do Templo, até 1911, quando casou-se com James Jensen. Eles viveram em Bingham, Salt Lake City e em Sandy, Utah, onde ela serviu em várias presidências das auxiliares, tanto na ala como na estaca. (Fotografia em posse da família. Cortesia de Mary Austin Ungerman.)

Quando a ex-missionária Rachel Hannah Leatham [Jensen] (1884–1979) discursou em uma reunião extra ao ar livre, durante a Conferência Geral da Igreja, em 5 de abril de 1908, ela se tornou a segunda mulher a ser mencionada no relatório oficial da conferência da Igreja.1 Nascida e criada em Salt Lake Ciy, filha de pai escocês e mãe inglesa, Rachel Leatham foi batizada no décimo primeiro aniversário de batismo da mãe, em 3 de janeiro de 1893, no mesmo local, na Praça do Templo.2 Rachel estudou em escolas públicas de Salt Lake City, na Faculdade de Administração de Salt Lake, e na Universidade Santos dos Últimos Dias (hoje LDS Business College). Ela trabalhou em uma empresa de administração em Idaho Falls, Idaho, quando tinha 18 anos, retornando posteriormente a Salt Lake City em busca de outras oportunidades profissionais.3

Rachel Leatham fez parte da primeira geração de mulheres solteiras a servir missão de proselitismo para a Igreja.4 Em setembro de 1906, aos 22 anos, foi designada para servir na Missão Colorado.5 Ela trabalhou na maior parte do tempo em Denver e nas cidades vizinhas, dividindo o tempo entre as obrigações no escritório da missão e as atividades de proselitismo. Em uma carta enviada ao presidente da missão, pouco depois de sua chegada ao campo, ela deu seu relato sobre o trabalho de bater em portas e ensinar: “Tive uma série de boas conversas sobre o evangelho e a sorte de entrar nas casas das pessoas”.6 Ela voltou para Salt Lake City em 19 de fevereiro de 1908.7

Ao retornar, Rachel Leatham ofereceu-se para trabalhar voluntariamente como guia no Escritório de Informação da Praça do Templo, junto com mais de uma centena de “bons irmãos e irmãs”.8 O escritório iniciou suas atividades em 1902, sob a direção de um antigo professor do instituto de Rachel, Benjamin Goddard, com o objetivo de fornecer informações corretas e distribuir literatura da Igreja aos visitantes.9

Naquela época, durante a conferência geral, as pessoas que não conseguiam um assento no Tabernáculo da Praça do Templo eram encaminhadas para as reuniões extras no Assembly Hall, que ficava ao lado.10 Em abril de 1908, o Assembly Hall ficou lotado e centenas de pessoas se congregaram no gramado, perto do Escritório de Informações, e ali uma reunião foi realizada, às 14hs, sob a direção de Goddard.11 Depois do discurso de Rachel Leatham, outra ex-missionária de sua antiga missão, Martha M. Langenbucher, também falou.12 Seus discursos foram incluídos no relatório oficial da conferência.

Meus irmãos e irmãs, sei que alguns de vocês apreciarão meus sentimentos enquanto estou aqui à sua frente. Acho que sou uma das moças mais felizes do mundo, e é o evangelho que me faz sentir assim, pois sei que é verdadeiro. Sei realmente que Deus, nosso Pai, e Seu Filho, Jesus Cristo, vieram à Terra para trazer o evangelho e o estabelecer, e sei que falaram com o profeta Joseph Smith. Sei que Jesus é o Cristo e que Joseph Smith é Seu profeta. Sinto que, se eu pudesse viver para sempre, jamais conseguiria agradecer o suficiente ao Pai Celestial pelas bênçãos que recebi na vida, pelo privilégio de sair pelo mundo e prestar esse testemunho, falando às pessoas a respeito da Restauração do evangelho, da autoridade que Cristo concedeu a Seus servos e das bênçãos que estão reservadas aos que derem ouvidos e forem obedientes às palavras da verdade, da vida e da salvação proferidas pelos servos de Deus, que são enviados para pregar o evangelho.

Às vezes, acho que os jovens que estão em casa não compreendem plenamente as responsabilidades que recaem sobre nós. Nem sempre lembramos que nossos líderes são idosos e que, quando nossos pais e mães se forem, caberá a nós assumir o trabalho deles, e que somos as futuras pessoas responsáveis de Sião. Será que estamos fazendo nossa parte, preparando-nos para dar continuidade ao trabalho que nossos pais fizeram? Estamos colocando nossa vida em ordem, de tal modo que o Espírito de Deus possa habitar em nós, como habitou com nossos pais? Será que percebemos o tamanho das bênçãos que Deus nos tem dado, e entendemos as palavras de vida e salvação contidas nas escrituras e em Doutrina e Convênios? Será que somos capazes de dizer quais foram as promessas que Deus nos fez se guardarmos Seus mandamentos?13 Será que conhecemos bem o antigo registro dos habitantes deste continente, o Livro de Mórmon? E será que estamos familiarizados com as grandes verdades ensinadas nesse livro e em outros que nos ensinam as belezas da obra na qual estamos engajados atualmente? Temo que não estejamos suficientemente instruídos nos princípios do evangelho e que não sejamos tão diligentes quanto deveríamos ser.14

Quando muito é dado, muito é exigido. E vocês sabem, todos vocês, o quanto nos foi dado e o quanto será exigido de nossas mãos.15). Será que estamos nos preparando para não fracassarmos? Vivamos de toda palavra que sai da boca de Deus.16 Vivamos de modo que Ele sempre esteja disposto a nos guardar, abençoar e nos amar.

Não desejo me alongar mais, mas quero mais uma vez prestar o meu testemunho. Quero dizer novamente que sei que o evangelho é verdadeiro. Não é porque meu pai sabe nem porque minha mãe sempre me ensinou, mas sei que o evangelho é verdadeiro porque Deus o revelou a mim. Seu Espírito prestou testemunho a meu espírito e esse testemunho é o dom mais precioso que Deus me concedeu.17

Que Deus abençoe a todos nós. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Notas de rodapé

  1. [1]Ver Apêndice, nesta publicação.

  2. [2]Rachel Hannah Hill foi batizada em 3 de janeiro de 1882 na Casa de Investidura da Praça do Templo, depois de imigrar da Inglaterra para Utah para reunir-se à família. Posteriormente ela casou-se com James Leatham. A filha do casal, Rachel Hanna Leathan foi batizada no Tabernáculo de Salt Lake, (Rachel Hannah Leatham Jensen, “Rachel Hannah Leatham Jensen” história pessoal de propriedade da família; Louis S. Leatham, The Letham or Leatham Family Book of Remembrance: The Story of Robert Letham and His Wife Janet Urquhart with Historical-Genealogical and Biographical Data on Their Ancestry and Descendants [O Livro de Recordações da Família Letham ou Leatham: A História de Robert Letham e Sua Esposa Janet Urquhart Com Dados Histórico-Genealógicos e Biográficos Sobre a Sua Ascendência e Descendentes], Ann Arbor: Edwards Brothers, 1955, pp. 343–362.)

  3. [3]Rachel Leatham trabalhou como taquigrafa e bibliotecária na Associação de Proteção aos Comerciantes e na Empresa Nacional de Importação de Chá, em Salt Lake City. (Jensen, “Rachel Hannah Leatham Jensen”; Leatham, Leatham Family Book of Remembrance [Livro de Recordações da Família Leatham, p. 363.)

  4. [4]Para o contexto adicional da história de mulheres servindo missão, ver “Mulheres com uma Missão”, acessado em 11 de maio de 2016, no site history.LDS.org; Tally S. Payne, “‘Our Wise and Prudent Women’: Twentieth-Century Trends in Female Missionary Service,” [Nossas Mulheres Sábias e Prudentes: Tendências do Século 21 no Serviço Missionário Feminino], em New Scholarship on Latter-day Saint Women in the Twentieth Century [Novos Conhecimentos sobre as Mulheres Santos dos Últimos Dias no Século 20], ed. Carol Cornwall Madsen e Cherry B. Silver, Provo, UT: Joseph Fielding Smith Institute for Latter-day Saint History, 2005, pp. 125–140; Calvin S. Kunz, “A History of Female Missionary Activity in the Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 1830–1898” [História da Atividade Missionária Feminina n’ A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1830-1898], tese de mestrado, Brigham Young University, 1976; e capítulo 29, nesta publicação.

  5. [5]Rachel Leatham foi designada em 9 de outubro de 1906 e chegou a Denver no dia 12 de outubro. O nome da missão foi mudado para Missão dos Estados do Oeste enquanto ela estava servindo. (Leatham, Leatham Family Book of Remembrance [Livro de Recordações da Família Leatham], p. 363; Colorado Denver South Mission Manuscript History and Historical Reports [Relatórios Históricos e História Manuscrita da Missão Colorado Denver Sul], 1896–1977, vol. 1, 1º de abril de 1907, Biblioteca de História da Igreja; “Returned Missionaries” [Missionários Retornados], Deseret Evening News, 22 de fevereiro de 1908; Colorado Denver South Mission General Minutes [Atas Gerais da Missão Colorado Denver Sul], vol. 4, 1906–1909, 12 de outubro de 1908, p. 257, Biblioteca de História da Igreja.)

  6. [6]Colorado Denver South Mission General Minutes [Atas Gerais da Missão Colorado Denver Sul], 31 de outubro de 1906, p. 95.

  7. [7]“Returned Missionaries” [Missionários Retornados]; Colorado Denver South Mission Manuscript History [História Manuscrita da Missão Colorado Denver Sul], 13 de fevereiro de 1908.

  8. [8]“Bureau of Information and Church Literature” [Escritório de Informação e Literatura da Igreja], Improvement Era 5, nº 11, setembro de 1902, p. 900. Rachel Leatham trabalhava nas manhãs de domingo e nos feriados. Duas de suas filhas seguiram seu exemplo e serviram missão. (Leatham, Leatham Family Book of Remembrance [Livro de Recordações da Família Leatham], pp. 363, 365.)

  9. [9]Benjamin Goddard, “Bureau of Information and Church Literature” [Escritório de Informação e Literatura da Igreja], Young Woman’s Journal 13, nº 11, novembro de 1902, pp. 483–488; Leatham, Leatham Family Book of Remembrance [Livro de Recordações da Família Leatham], p. 363. Quase vinte anos após a sua criação, foi dito que “o escritório tornou-se uma das melhores instituições missionárias da Igreja”. (Edward H. Anderson, “The Bureau of Information” [O Escritório de Informação], Improvement Era 25, nº 2, dezembro de 1921, p. 139.)

  10. [10]Para mais informações sobre as reuniões extras durante a conferência geral, veja Paul H. Peterson, “Accommodating the Saints at General Conference” [Acomodando os Santos na Conferência Geral], BYU Studies, 41, nº 2, 2002, pp. 17–22.

  11. [11]78ª Conferência Anual de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 4–6 de abril de 1908 (Salt Lake City: Deseret News, 1908), p. 73.

  12. [12]Irmã M. M. Langenbucher, em Seventy-Eighth Annual Conference [Septuagésima Oitava Conferência], p. 82. Rachel Leatham e Martha Maria Langenbucher saíram e retornaram da missão no mesmo dia e juntas enviaram cartas ao presidente da missão. (“Returned Missionaries” [Missionários Retornados]; Colorado Denver South Mission General Minutes [Atas Gerais da Missão Colorado Denver Sul], 29 de dezembro de 1907, p. 365.)

  13. [13]Os registros da missão de Rachel Leatham mostram sua fé nas promessas de Deus, descritas assim: “Durante o mês passado minha fé no evangelho foi grandemente fortalecida. Vi duas maravilhosas manifestações da bondade de Deus para com Seus filhos”. (Colorado Denver South Mission General Minutes [Atas Gerais da Missão Colorado Denver Sul], 28 de janeiro de 1907, p. 149.)

  14. [14]As cartas mensais da irmã Leatham para seu presidente de missão revelavam que a diligência era um assunto recorrente para ela. Em 25 de fevereiro de 1907, ela escreveu: “Tenho me empenhado em cumprir meu dever e sentido grande satisfação em meu trabalho”. (Colorado Denver South Mission General Minutes [Atas Gerais da Missão Colorado Denver Sul], 25 de fevereiro de 1907, p. 166.)

  15. [15]Ver Lucas 12:48; e Doutrina e Convênios 82:3.

  16. [16]Ver Deuteronômio 8:3; Mateus 4:4; e Doutrina e Convênios 84:44.

  17. [17]Ver Romanos 8:16.